Emerson Pereira

← All posts

O que eu aprendi no Web.br 2019

November 02, 2019

Em outubro de 2019 eu tive o prazer de participar da conferência Web.br — veja fotos no Instagram — organizada pela ceweb.br, nic.br e cgi.br. Foram dois dias de palestras e aqui eu keynotes e aqui eu vou passar um pouco de como foram essas experiências.

person taking notes

Assim que cheguei, me credenciei e fui presenteado com uma bela camiseta e alguns outros brindes muito bacanas do pessoas da Web.br. Além disso foi informado que precisava de um fone, mais tarde descobri que todas as palestras daquele dia seria usando um fone pra escutar o apresentador enquanto ele fala no microfone. Confesso que não gostei muito do formato, achei incômodo, mas achei que foi uma solução inteligente pra possibilitar duas palestras acontecerem no mesmo espaço.

PWA

Logo a primeira apresentação foi bastante proveitosa, o professor da ESPM Carlos Rafael Neves fez uma excelente apresentação sobre PWA e apresentou os conceitos primordiais da metodologia. Essa foi a apresentação que eu mais tomei nota e já coloquei na minha lista de assuntos a se estudar.

O material apresentado por ele é também a fonte de estudos. Eu já guardei o link e vou usá-lo para estudar PWA. O pouco que vi, já recomendo!

Chatbot

Depois do coffee-break fomos então para a apresentação de chatbots. Aqui Jeff Silva nos apresentou como montar um chatbot bem básico, usando linha de comando. A tecnologia usada foi Rasa e o chatbot foi desenvolvido em Python.

Eu fiquei bem surpreso pois fui apresentado a uma nova maneira, mais primitiva, de se desenvolver chatbots. Aqui se usa stories para se montar o chatbot na forma de perguntas e respostas. Basicamente se faz perguntas e respostas pra cada caso que em forma de markdown e junto com as configurações de intenções e entidades o chatbot faz seu trabalho.

Eu achei interessante essa prática pois não conhecia, mas confesso que achei um pouco primitivo de mais comparado as tecnologias interativas com árvores de diálogo e soluções mais robustas que existe hoje no mercado, como é o caso do Watson Assistant da IBM. Mas ainda sim, acredito que deve existir uso de caso pra chatbots com base em stories e não acho que deve ser desconsiderado.

Como uma referência, achei esse artigo do próprio blog da Rasa que ilustra bem como isso acontece.

IA

Na ultima parte do dia participei de uma apresentação sober IA e outra sobre desenvolvimento seguro. Sobre IA (Inteligência Artificial) o tema foi bem político e apresentou preocupações atuais sobre treinamentos de IAs que usam dados, que por refletir dados reais, são por vezes enviesados.

O que se passa é que infelizmente vivemos em um mundo onde o preconceito e desigualdade são latentes, assim os dados sobre nós também são. Por isso deve-se haver uma preocupação em treinamentos de IA com dados do nosso mundo para que não se reproduza os preconceitos e desigualdades para a máquina. Por exemplo, uma IA que analisa rostos de pessoas e avaliam se são homens ou mulheres deve ser alimentada com rostos diversos de pessoas de diferentes raças e cores e assim evitar vies nas análises.

Para ilustrar essa realidade, eu trouxe alguns exemplos:

Desenvolvimento seguro

Na parte de segurança teríamos uma duas apresentações sobre o assunto mas infelizmente umas delas foi cancelada. Ainda sim tivemos uma apresentação sobre segurança com dois funcionários da Globo: Silva Pimpão e Daniel Carlier.

Eles apresentaram bastante exemplos de SQL injection e os diferentes ataques e também como solucioná-los.

Vou deixar aqui o link pro curso de onde foi retirado o material e de onde pode-se usar como fonte de estudos sobre o assunto também.

O estado da web

O segundo dia começou muito surpreendente pra mim já que tive a oportunidade de conhecer três pessoas fantásticas logo de início:

Veja o vídeo das apresentações dos três no youtube.

O dia começou um bate papo excelente sobre o estado da web em tempos de contestação a ciência e discursos de ódio na internet, fiquei muito impactado com depoimento do Iberê e da Lola, e muito contente de saber que eles lutam incansavelmente por uma internet mais saudável e inclusiva todos os dias.

Além dessa discussão tivemos uma apresentação do Léo Viturinno e podemos saber um pouco mais de como é ser um youtuber surdo e aprender sobre seu nobre trabalho de fazer conteúdo acessível para todos.

Participei também de palestras sobre métricas e analytics, onde a principal plata foi saber que perguntas fazer frente a métricas e dados.

Participaram do evento também pessoas como William Oliveira, Juliana Pereira e Guilherme Gonçalo onde apresentaram projetos sociais de trabalhos voltados a tecnologia e oportunidade de mercado para jovens em periferias, aqui estão alguns dos projetos apresentados:

Tivemos uma introdução sobre diferentes conceitos que envolvem Crowd sourcing com Leticia Machado e uma pincelada de ciber-guerras e o futuro da democracia envolta da web e inteligência artificial com a Natália Neris.

Por fim, com um joystick em mãos controlando os slides da apresentação, Andrzej Mazur nos apresentou um novo mundo de Games em HTML5, desenvolvimento, plataformas de publicação e monetização. Nesse contexto, foi apresentado a API de gamepad que traz novidades bem empolgantes para desenvolvedores de games web. Eu fiquei bastante contente em conhecer essa API e as facilidades que ela traz, já quero sair por aí fazendo jogos em HTML5 mesmo sem nunca ter feito nenhum jogo na vida 😁.

Conclusão

Para concluir, de maneira geral eu gostei muito do evento, e fiquei muito surpreso e satisfeito com o teor de conscientização que teve em torno do estado da web e a lembrança que devemos sempre zelar pela web aberta, ficar atento a plataformas limitantes e muito fechadas que monopolizam o ambiente virtual e sempre trabalhar para uma web saudável.

No quesito de organização do evento, achei alguns pontos negativos tais como o fato de ter que usar headset para ouvir as palestras no primeiro dia e o fato que, por vezes funcionários abriam as portas laterais para passar e a luz acabava atrapalhando a apresentação. De resto estava tudo perfeito, havia interpretes libra no local e tradutores para a apresentação em inglês, o que é bem bacana e as comidas e bebidas do coffee-break estavam excelentes!

Eu, com certeza, voltaria em uma conferência de Web.br, acredito que eventos como esse são de extrema importância tanto no âmbito tecnológico como no âmbito social. Fica aqui meus parabéns a todos os envolvidos da Web.br.

Esse foi meu diário dos dois dias, espero ter te ajudado com um panorama geral do evento.

Obrigado pela leitura.

Achou algum erro ou quer sugestionar uma mudança?
Edite no GitHub


My personal blog.
I write about web development stuff.